Museu Marítimo de Ílhavo
O Museu Marítimo de Ílhavo

Pesca do bacalhau

A coleção da faina do bacalhau possui como ícone um iate bacalhoeiro cortado a meia água (pelo convés) de dois mastros constituído e representado com todas as suas componentes: a gaiúta, albói da câmara e rabada, meias laranjas da câmara e rancho, escotilha do porão, o parque de pesca e as imprescindíveis pilhas de dóris.
A diversidade desta coleção elucida o visitante sobre a pesca à linha do bacalhau. Composta por “objetos reais” da pesca à linha, como a zagaia, a nepa, a linha de trol, o corno ou o búzio, entre outros. Para além destes objetos esta coleção inclui no seu acervo algumas embarcações utilizadas na pesca – os dóris e baleeiras -, bem como moldes e ferramentas da construção naval, e todos os outros objetos que fazem parte da memória desta faina.
 
Relacionado com a pesca do bacalhau à linha, este Museu possui uma notável coleção de instrumentos de navegação antiga e moderna onde se destaca uma bússola marítima portuguesa de finais do século XIX, os agulhões dos dóris – utilizados na pesca à linha do bacalhau – e as bitáculas de navios. Para além destes, a coleção contempla alguns exemplares de sextantes, oitantes e aparelhos azimutais utilizados na navegação nos inícios do século XX.
 
Referente à navegação moderna a coleção do Museu inclui alguns exemplares de sondas, radares, inclinómetros, axiómetros de giro-piloto, anemómetros e rádio-goniómetro entre outros de grande importância.