Museu Marítimo de Ílhavo
O Museu Marítimo de Ílhavo

Exposição "Meia Laranja", de Hermano Noronha

19 Novembro 2016 a 02 Abril 2017
Meia laranja2 1 772 2500

Quem conhece a Praia da Barra, em Ílhavo, e já percorreu o molhe da Meia Laranja ao vento agreste que ali faz, compreende bem a densidade cultural e a carga semiótica desta expressão. No imaginário local e de toda a região lagunar de Aveiro permanecem vivas e contundentes as imagens associadas ao lugar: os lugres bacalhoeiros, de pano aberto, saindo a barra, esguios e imponentes, e as mulheres dos seus tripulantes, correndo e acenando no paredão, em choros copiosos. Ílhavas, gafanhoas, murtoseiras, nazarenas, competindo na saudade, quais viúvas de vivos. No ansiado regresso, eram idênticas as reações e maior o drama.
Na sequência de trabalhos anteriores em que expressou a sua inquietação artística pelas meta-narrativas da sociedade portuguesa – memórias traumáticas, que flutuam entre a exaltação e o recalcamento –, Hermano Noronha voltou a puxar pelo fio da memória das guerras coloniais. Desta vez, a guerra de África é invocada na sua mítica relação com a pesca do bacalhau. É este o ponto nodal do projeto e é este o exorcismo libertador que o artista nos propõe.

Patente até 2 de abril de 2017

Sala de exposições temporárias do Museu Marítimo de Ílhavo

 

Catálogo da exposição a lançar na Feira do Livro de Fotografia de Lisboa, no dia 27 de novembro (domingo), às 19h00, no Arquivo Municipal de Lisboa [ver mais].

 

Hermano Noronha | Biografia

Hermano Noronha (1967) é mestre em Criação Artística Contemporânea, pela Universidade de Aveiro, pós-Graduado em Fotografia, projeto e Arte Contemporânea, pelo IPI-Atelier de Lisboa e licenciado em Educação Física e Desporto. Em 2015 é finalista no prémio Internacional EI Awards 2015 - Encontros da Imagem, sendo selecionado como artista CreArt para a Exposição Europeia 2015, com o projeto “Aveirense”. Em 2014 recebe a Bolsa Estação Imagem Mora 2014 e inicia o projeto “Presente”, frequentando também o curso “Da Ideia ao Projeto” sob orientação de Virgílio Ferreira no Museu Côa. No mesmo ano é ainda convidado para a Coordenação Científico-Artística da Residência Artística “Conviver na Arte 2014 – Campo de Estudos”, da Fundação Robinson. Em 2013 participa como Fotógrafo Emergente no Projeto “Entre Margens”, promovido pela Fundação Museu do Douro e coletivo Kameraphoto…. Em 1990, começa a trabalhar colaborando como fotógrafo na revista AI – Amnistia Internacional, na secção portuguesa.